Ahmadinejad ameaça ´cortar as mãos´ de agressores do Irã

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, avisou nesta quarta-feira, 18, que o Exército iraniano "cortará as mãos de qualquer agressor", enquanto afirmava que seu país procura estabelecer relações de amizade com todas as nações, com exceção de Israel.Ahmadinejad fez a declaração durante um desfile militar, nesta quarta-feira, em Teerã, por ocasião do Dia do Exército."A tarefa do Exército é defensiva e não agressiva, mas estácompletamente preparado para cortar as mãos de qualquer agressor", disse o governante iraniano. O seu discurso foi transmitido pelas emissoras de rádio e televisão iranianas, inclusive o canal por satélite Alalam, em árabe.Ahmadinejad reafirmou que a República Islâmica "quer estabelecer sólidas relações com seus vizinhos, com os países da região e de todo o mundo, e estende suas mãos para ter relações de amizade com todos os povos, com exceção da entidade sionista (Israel)", que o governo iraniano não reconhece.Ele também afirmou que as Forças Armadas de seu país "atingiram a auto-suficiência na produção de material militar moderno, apesar do embargo" americano.O Conselho de Segurança da ONU adotou em março uma resolução com sanções para obrigar o Irã a suspender o enriquecimento de urânio. Mas Teerã insiste que "não dará marcha à ré", que seu programa é "pacífico" e que a tecnologia nuclear é "um direito legal" de seu povo.O desfile militar desta quarta-feira, realizado sob estritas medidas de segurança, contou com unidades de terra, mar e ar do Irã, inclusive pára-quedistas, com a apresentação de "modernos equipamentos defensivos".O Exército mostrou diferentes modelos de mísseis terra-terra,embarcações, aviões sem piloto, helicópteros, tanques e veículos blindados, além de equipamentos eletrônicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.