Ahmadinejad cancela reforma do Ministério do Petróleo

O plano do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, para fundir o estratégico Ministério do Petróleo em uma pasta de Energia mais ampla foi "cancelado", segundo o site oficial do Parlamento do país.

CLARISSA MANGUEIRA, Agência Estado

21 de junho de 2011 | 16h31

"A fusão dos dois ministérios foi cancelada e retirada da agenda do governo", afirmou Hossein Sobhani-Nia, um membro do Comitê Parlamentar de Administração, segundo o site. De acordo com ele, a decisão foi tomada por um subcomitê formado por representantes do Parlamento e do governo, que "chegou à conclusão de que o Ministério do Petróleo deveria continuar independente devido a sua importância".

A fusão dos Ministérios de Petróleo e Energia tornou-se um ponto de discórdia entre Ahmadinejad e o Parlamento, dominado pelos conservadores, após o presidente iraniano começar a implementar planos para reestruturar seu gabinete. Em 15 de maio, Ahmadinejad anunciou que comandaria pessoalmente o Ministério do Petróleo por um período transitório, depois de demitir o então ministro Masoud Mirkazemi, no dia anterior.

O anunciou desencadeou uma onda de críticas do Parlamento, com muitos parlamentares insistindo que o Ministério do Petróleo deveria continuar independente. A polêmica provocou a intervenção do órgão de fiscalização constitucional, que determinou que Ahmadinejad tinha abusado de sua autoridade. O presidente iraniano foi então forçado a nomear Mohammad Aliabadi para comandar a pasta, que supervisiona cerca de 80% das receitas anuais do Irã. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.