Ahmadinejad critica ONU e pede cooperação da Ásia

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, criticou neste domingo a atuação do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), especialmente em relação aos conflitos no Oriente Médio, e pediu uma sólida cooperação entre os países asiáticos a favor da justiça no mundo. Em discurso em reunião da 7.ª Assembléia de Parlamentos Asiáticos pela Paz, que começou neste domingo em Teerã e conta com a participação de representantes de 30 países, o líder iraniano considerou que as resoluções das Nações Unidas "são tomadas sob a influência do Reino Unido e dos EUA" que, na sua opinião, são parciais a favor do "regime sionista (Israel)". "Não devemos concentrar todas as nossas esperanças nos órgãos inúteis que dependem das grandes potências arrogantes e são pressionados por elas", acrescentou. Ahmadinejad comenta caso do Líbano Ahmadinejad também falou sobre o caso do Líbano e dos territórios palestinos, e disse que os projetos de resolução contra Israel "são sempre vetados pelo Reino Unido e pelos EUA, em um claro apoio ao regime sionista". "Estes países ameaçam o Irã e apresentam resoluções contra nosso país por tentar conseguir energia nuclear para fins pacíficos, enquanto apóiam outros países que têm arsenais nucleares", disse o presidente iraniano, em referência a Israel. Ahmadinejad pediu que os 39 Estados da Assembléia de Parlamentos Asiáticos pela Paz aumentem a cooperação econômica e política entre eles, a favor da justiça no mundo. "Os países da Assembléia têm grandes capacidades econômicas, culturais e políticas que podem usar para diminuir a pobreza e a injustiça, e promover a luta contra o terrorismo", acrescentou. Também pediu que os países asiáticos tentem estabelecer um "mercado energético comum e estável", e disse acreditar em que podem estabelecer órgãos monetários e financeiros, independentes das atuais instituições mundiais, que são "controladas pelas grandes potências". O presidente iraniano sugeriu "estabelecer um acordo de paz e amizade entre os membros da Assembléia". A Assembléia de Parlamentos Asiáticos pela Paz foi criado em setembro de 1999, após uma iniciativa do Parlamento de Bangladesh.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.