Ahmadinejad diz estar pronto para negociar com EUA

O presidente do Irã disse nesta quinta-feira estar pronto para negociar com os Estados Unidos e seus aliados a respeito do programa nuclear de seu país, mas avisou que qualquer ameaça a Teerã fará com que as conversas se compliquem.O presidente Mahmoud Ahmadinejad também intensificou seus ataques verbais a Israel, qualificando o país como "um regime tirânico que um dia será destruído" e repetiu que os países europeus foram dominados por intenções anti-semitas quando decidiram, após o Holocausto, estabelecer o Estado judeu no meio de países muçulmanos. Eles queriam os judeus fora de seus "quintais" e pavimentaram seu caminho para a destruição final, disse o líder iraniano.Oficiais israelenses - que qualificaram a busca nuclear do Irã como a maior ameaça ao Estado judeu - não fizeram comentários sobre o último discurso de Ahmadinejad, disse o porta-voz do ministro do Exterior israelense, Mark Regev. O vice-primeiro-ministro de Israel, Shimon Peres, disse na segunda-feira que o Irã também pode ser alvo de ameaças de destruição caso continue a instigar esse pensamento contra Israel.O líder iraniano, conhecido por sua retórica ácida, fez seu discurso a estudantes admiradores de sua política e a uma rede de televisão durante sua passagem pela Indonésia, nação com maior número de muçulmanos do mundo e que é suspeita de buscar a fabricação de armas atômicas.Questionado sobre o que poderia ser feito para que as negociações com os EUA saíssem do impasse nas quais foram jogadas, Ahmadinejad disse à Metro TV que o Irã "está pronto para travar um dialogo conciliatório com qualquer país"."Não existem limites para o nosso diálogo", disse Ahmadinejad para a estação. "Mas se alguém aponta uma arma para a sua cabeça e diz que você precisa falar, você falará?"Membros chave do Conselho de Segurança da ONU concordaram na terça-feira em prorrogar a resolução que traria um ultimato para Teerã, dando ao Irã mais duas semanas para reavaliar sua insistência em desenvolver sua capacidade de enriquecimento de urânio.Ahmadinejad também criticou a resposta dos EUA e dos países europeus sobre as eleições palestinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.