Ahmadinejad e Maliki destacam bons laços e visões comuns

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad,e o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, destacaram nesta terça-feira emTeerã as boas relações dos dois países vizinhos e seus pontos devista compartilhados sobre assuntos regionais e internacionais. Em entrevista coletiva conjunta após a reunião dos doisgovernantes, Ahmadinejad disse que o encontro tinha sido"construtivo e positivo", segundo a agência Isna. "Os dois países têm pontos de vista comuns quanto aos assuntosregionais e internacionais", disse Ahmadinejad. O presidente iraniano acrescentou que os dois países vizinhos"estão decididos a ampliar e aprofundar as relações bilaterais". Ahmadinejad desmentiu indiretamente que Teerã esteja fomentando ainstabilidade no país vizinho - como afirmam os Estados Unidos -,dizendo que "todas as ajudas do Irã ao Iraque são orientadas arestabelecer a segurança neste país". "Nós achamos que um Iraque unido, independente e com autoridade ébom para a segurança e o desenvolvimento geral de toda a região",ressaltou Ahmadinejad ao abordar a satisfação do Irã com oestabelecimento de um Governo permanente no Iraque, o primeiro nãoprovisório após a queda de Saddam Hussein. O presidente iraniano detalhou que os dois países chegaram aacordos preliminares nos âmbitos de energia, comércio, economia,transporte e água. Maliki saudou a assinatura de tais acordos e disse que "nãoexiste nenhum obstáculo para sua realização". O primeiro-ministro do Iraque chegou na manhã desta terça-feira a Teerãpara uma visita de dois dias na qual lidera uma delegação de váriosministros e parlamentares iraquianos. Está previsto que Maliki se reúna com o secretário do ConselhoSupremo iraniano da Segurança Nacional, Ali Larijani (responsávelpelas negociações sobre o polêmico programa nuclear), e o ministrode Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, entre outros. Irã e Iraque se enfrentaram em uma sangrenta guerra entre 1980 e1988 que deixou mais de 1 milhão de mortos. Após a queda de Saddam,no entanto, as relações de ambos os países melhoraram muito. Paradoxalmente, os xiitas iraquianos, que agora controlam asprincipais instituições de seu país graças a sua maioria numérica,têm no Irã seus melhores aliados, enquanto devem seu poder políticoaos Estados Unidos, o maior inimigo do Irã no cenário internacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.