Ahmadinejad faria ataque mais duro a Israel, diz ONU

A Organização das Nações Unidas afirmou nesta terça-feira que o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, retirou uma referência a uma negação do Holocausto ao ler seu discurso na conferência contra o racismo.

AE-AP, Agencia Estado

21 de abril de 2009 | 11h03

O texto preparado em inglês do discurso de Ahmadinejad afirmava que o Oriente usou "a mais ambígua e duvidosa questão do Holocausto" ao criar o Estado de Israel.

A porta-voz da ONU Marie Heuze disse que Ahmadinejad omitiu o comentário ao ler o discurso em Farsi, na segunda-feira. Os intérpretes em francês e inglês também retiraram a frase.

Embora o discurso tenha sido um ataque a Israel, alguns delegados permaneceram na sala porque disseram que o presidente iraniano não chegou a negar o Holocausto, uma ofensa suprema aos judeus.

Heuze disse que oradores em Farsi confirmaram que Ahmadinejad se desviou do texto oficial fornecido pelo governo iraniano.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUconferênciaAhmadinejad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.