Ahmadinejad minimiza ameaça ao Irã divulgada pelo WikiLeaks

Presidente iraniano chama de injúria sem valor pedido de rei saudita para EUA atacarem o país

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2010 | 12h13

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse hoje que os documentos revelados pelo site WikiLeaks são uma "injúria sem valor" e não devem afetar as relações do Irã com seus vizinhos árabes.

Veja também:

link As principais revelações do vazamento do Wikileaks

link Os líderes mundiais sob o olhar dos diplomatas americanos

link Para EUA, Brasil oculta prisão de terroristas

De acordo com um dos despachos do Departamento de Estado norte-americano revelados pelo site, a Arábia Saudita chegou a pedir aos Estados Unidos que atacassem instalações nucleares iranianas.

Ahmadinejad disse que o direito do Irã de enriquecer urânio "não é negociável". Esse processo pode ser usado tanto para fins pacíficos como para a produção de armas nucleares.

Países liderados pelos EUA temem que Teerã busque secretamente essas armas, mas o governo iraniano alega ter apenas fins pacíficos. O programa nuclear do Irã já foi alvo de quatro rodadas de sanções no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Tudo o que sabemos sobre:
WikileaksEUAdocumentosIrãAhmadinejad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.