Ahmadinejad pede aos britânicos que retirem apoio a Blair

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pediu ao povo britânico que retire seu apoio ao primeiro-ministro Tony Blair, para evitar novos "desastres" da política externa do Reino Unido no Oriente Médio.Em entrevista publicada na edição de hoje do jornal The Guardian, Ahmadinejad afirma que o fracasso do Reino Unido para conseguir um rápido cessar-fogo no conflito entre Israel e a milícia xiita libanesa Hezbollah, assim como seu papel na ocupação de Iraque e Afeganistão, estão causando um "dano duradouro" a sua reputação."O povo britânico deveria deixar de apoiar Governos que estão fazendo a guerra no Oriente Médio, como o seu próprio Governo e os de Estados Unidos e Israel", afirma o presidente iraniano.Para Ahmadinejad, o problema está no fato de os "EUA quererem criar um novo Oriente Médio, pois só o povo do Oriente Médio pode fazer isso". O iraniano insiste que os povos da região desejam "um Oriente Médio que seja livre da dominação americana e britânica".Segundo o jornal The Guardian, as críticas do governante iraniano podem refletir um certo nervosismo frente à possibilidade de que o Reino Unido apóie um eventual ataque dos EUA contra usinas nucleares do Irã se não se chegar a uma solução para a crise.EUA e União Européia (UE) suspeitam que Teerã iniciou um ambicioso programa para fabricar armas atômicas, acusação que o Irã rejeita com o argumento de que seu plano nuclear só busca fins civis.Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU aprovada em 31 de julho exige que o regime dos aiatolás suspenda o enriquecimento de urânio até o próximo dia 31. Caso a resolução não seja cumprida, o país enfrentará sanções que o próprio Ahmadinejad já tachou de "ilegais".O Irã se comprometeu a responder na próxima terça-feira à proposta de incentivos em troca da suspensão do enriquecimento de urânio oferecida pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - EUA, Rússia, China, Reino Unido e França - e a Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.