Vahid Salemi/AP
Vahid Salemi/AP

Ahmadinejad pede visto para entrar nos Estados Unidos

Presidente quer permissão para participar de conferência sobre não-proliferação nuclear

Agência Estado e Reuters,

28 de abril de 2010 | 14h46

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pediu visto para fazer uma visita aos Estados Unidos, afirmou nesta quarta-feira, 28, a embaixadora norte-americana nas Nações Unidas, Susan Rice. Provavelmente, ele pretende participar de uma conferência sobre não-proliferação nuclear, marcada para a semana que vem na sede das Nações Unidas, em Nova York. A declaração de Susan sobre o pedido de visto do líder iraniano foi feita após um encontro emergencial do Conselho de Segurança (CS) sobre a situação no Haiti.

 

Veja também:

linkIrã e Síria fornecem armas sofisticadas ao Hezbollah, diz Gates

linkBrasil e Irã devem trabalhar por nova ordem mundial, diz Ahmadinejad

especialEspecial: O programa nuclear do Irã 

   

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, P.J Crowley, confirmou que as solicitações de Ahmadinejad e sua delegação foram apresentadas em Berne, na Suíça, e indicou que era provável que fossem aprovadas.

 

"Temos certas responsabilidades como anfitriões da ONU", disse Crowley. "Normalmente se concede visto a qualquer funcionário estrangeiro que venha à ONU para assuntos oficiais", acrescentou.

Os Estados Unidos e outras potências ocidentais acusam o Irã de desenvolver armas nucleares apesar de seu compromisso de não fazê-lo, firmado sob a assinatura do Tratado de Não Proliferação (TNP). A República Islâmica afirma que seu programa nuclear tem fins estritamente pacíficos, e tem o objetivo de gerar eletricidade.

 

O Irã e os Estados Unidos não têm relações diplomáticas. O ministro de Relações Exteriores iraniano, Manouchehr Mottaki, tinha originalmente planejado liderar a delegação de seu país na conferência que será celebrada entre 3 e 28 de maio na sede ds ONU, a qual avaliará o cumprimento do pacto de controle de armas.

 

O tratado foi elaborado para deter a expansão de armas atômicas e incentivar a eliminação dos arsenais existentes.

 

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, irá liderar a delegação de seu país. A ordem atual para o início da conferência tem Clinton e Mottaki programados para que sejam, respectivamente, a quinta e o sétimo a discursarem na tarde de segunda.

 

Funcionários da ONU disseram que ainda não estava claro se Ahmadinejad, até agora o funcionário de mais alto cargo esperado para a reunião, teria um lugar mais proeminente na conferência ou manteria a atual ordem para falar e responder à Hillary.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAAhmadinejadvisto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.