Ahmadinejad reafirma que Irã não desistirá de programa nuclear

O presidente linha-dura do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse na quarta-feira que não vai desistir "nenhum pouquinho" de seu direito de perseguir um programa nuclear pacífico.Ahmadinejad reiterou sua inflexível posição enquanto o mais alto negociador de políticas nucleares de seu país, Ali Larijani, participava de conversas com o comissário de relações exteriores e segurança da União Européia, Javier Solana, em Berlim, descrito por uma autoridade da UE como "muito intenso".Segundo uma televisão estatal iraniana, Ahmadinejad teria dito nesta quarta-feira que "Nas negociações, eles nos dizem para suspender o enriquecimento de urânio, mesmo que por um dia, sob o pretexto de um problema técnico para que, assim, possam continuar as conversas. Nossa resposta a eles é que ninguém tem o direito de desistir dos direitos da nação iraniana".O presidente iraniano disse que os Estados Unidos e seus aliados europeus querem forçar seu país a suspender o enriquecimento de urânio, mas que não vão ter sucesso.Diplomacia nuclearAhmadinejad fez as declarações no mesmo momento em que negociadores europeus e iranianos tentavam chegar a uma solução diplomática para o impasse.Nesta quarta-feira, o comissário de relações exteriores e de segurança da União Européia, Javier Solana, e o principal negociador iraniano, Ali Larinjani, reuniram-se em Berlim para conversas sobre o programa nuclear do Irã. O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, que não participou da reunião, disse que estava otimista quanto ao progresso das negociações. "Tenho a expectativa de que as conversações sejam bem sucedidas. Acho que hoje nós não teremos um resultado final; esperamos ter algum resultado amanhã", disse Steinmeier.Segundo o ministro alemão, Solana vai apresentar um relato sobre a reunião a representantes dos seis países que tentam persuadir o Irã a abandonar seu programa nuclear (EUA, Reino Unido, França, Rússia, Alemanha e China) "e então, será decidido em conjunto se há condições para um retorno á mesa de negociações".Em Washington, o governo do presidente George W. Bush disse que está disposto a adiar um pedido para que a ONU imponha sanções econômicas ao Irã pelo fato de esse país não ter suspendido seu programa de enriquecimento de urânio. O recuo dos americanos aparentemente resultou do isolamento dos EUA na defesa de sanções. A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, telefonou para Javier Solana nesta quarta, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, "e nós apoiamos completamente seus esforços".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.