Ahmadinejad: regime israelense "não deverá sobreviver"

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou nesta quinta-feira que Israel é "ilegítimo" e que não deverá sobreviver, informou o site israelense Haaretz.O líder iraniano disse no último ano que Israel deveria "sumir do mapa", afirmação que causou polêmica no Ocidente. Desde então ele regularmente faz críticas ao Estado judeu. "Nossa nação anunciou anteriormente que este regime (israelense) é ilegítimo desde sua fundação. Ele é fabricado. Ele foi imposto às nações da região e não deverá sobreviver", disse o líder durante um protesto próximo a Teerã, segundo o site do Haaretz. "A existência deste regime é a raiz de vários problemas atuais da humanidade", acrescentou o líder. Os diversos comentários de Ahmadinejad sobre o Estado judeu foram condenados pelo Ocidente e por Israel. O premier israelense, Ehud Olmert, disse em maio que o presidente iraniano transformou Israel em "um alvo para a aniquilação". O ex-ministro da defesa israelense Shaul Mofaz acrescentou que o programa nuclear iraniano é a maior ameaça aos judeus desde o Holocausto.Ahmadinejad disse, por sua vez, que o programa nuclear de seu país visa apenas a produção de energia, e não de armamentos. Segundo ele, tal programa não representa ameaça a nenhum país, "nem mesmo ao regime Sionista (Israel)", segundo informações do Haaretz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.