Ahmadinejad usou mal o encontro sobre racismo, diz ONU

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, acusou nesta terça-feira o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de ter usado mal uma conferência das Nações Unidas sobre racismo, na qual ele classificou a política israelense para os palestinos de racista.

REUTERS

21 de abril de 2009 | 11h14

"É muito lamentável que a conferência tenha sido mal usada pelo presidente iraniano para fins políticos", disse Ban durante uma visita oficial à Malta.

Ahmadinejad usou seu discurso na conferência sobre racismo da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra, na segunda-feira, para descrever Israel como "o regime racista mais cruel e repressivo" devido ao tratamento que dá aos palestinos.

Seus comentários geraram a saída de cerca de 20 delegações do Ocidente e provocaram críticas de grupos de direitos e governos ocidentais.

Ban também expressou tristeza pelo fato que alguns países terem boicotado a conferência.

Estados Unidos e Israel lideraram uma dezena de países que não participaram do evento devido a temores de que o encontro poderia se transformar em um fórum para ataques contra o Estado judeu.

"Antes do discurso, tive um longo encontro bilateral com o presidente Ahmadinejad e pedi que ele desse uma contribuição balanceada e construtiva à conferência, porque ele era o único chefe de Estado presente", disse Ban.

Ahmadinejad foi convidado a discursar primeiro porque foi o único líder de Estado presente no encontro, embora convites tenham sido enviados a todos os presidentes, acrescentou Ban.

(Reportagem de Chris Scicluna)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUBANLAMENTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.