AI pede que México defenda direitos humanos

A seção mexicana da organização Anistia Internacional (AI) pediu ao novo Governo do México que garanta "com compromissos concretos e sem exceções" o respeito aos direitos humanos no país.A AI informou num comunicado que é urgente que o Governo que assumiu no dia 1 "ponha no centro de sua agenda política o fortalecimento dos direitos humanos em nível federal, estadual e municipal, com compromissos concretos e sem exceções"."Até agora o novo Governo do presidente Felipe Calderón não disse publicamente como vai cumprir suas obrigações", disse a AI numa declaração pública. O órgão pediu às autoridades mexicanas que dêem prioridade à crise do estado de Oaxaca, de acordo com as normas internacionais, julgando em tribunais imparciais funcionários públicos "envolvidos em violações de direitos humanos".Segundo relatórios, as autoridades estaduais "estão implicadas em violações dos direitos humanos", entre elas "detenções arbitrárias, maus tratos, tortura, processos infundados e assassinatos", denunciou a entidade.A ONG exigiu das autoridades medidas para evitar a violência contra mulheres e lembrou o compromisso institucional de proteger os direitos dos povos indígenas. Outro pedido da AI é de garantias ao trabalho dos defensores de direitos humanos, jornalistas e ativistas de comunidades marginalizadas, sem "intimidações nem perseguição judicial".

Agencia Estado,

09 de dezembro de 2006 | 03h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.