Aiatolá diz que negocia só se EUA derrubarem sanções

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse hoje que qualquer tipo de conversação com os Estados Unidos acontecerá apenas se Washington derrubar "as sanções e ameaças" contra Teerã.

ANDRÉ LACHINI, Agência Estado

18 de agosto de 2010 | 19h43

"O presidente (Mahmoud Ahmadinejad) e outros já disseram que estamos prontos para as negociações, mas não com a América", disse Khamenei, em um encontro com funcionários graduados do governo iraniano, incluído Ahmadinejad. O discurso de Khamenei foi transmitido pela televisão.

"A razão é que a América não entra em campo de uma maneira honesta como um negociador normal, eles precisam derrubar a face de superpotência", disse Khamenei, acrescentando que "aí estaremos prontos". Os EUA, com os quais o Irã não mantém relações diplomáticas há mais de 30 anos, lideraram as potências mundiais que em 9 de junho impuseram uma quarta rodada de sanções comerciais e financeiras contra o Irã, por causa do programa nuclear iraniano.

Os EUA e os países europeus têm usado uma abordagem dupla, de impor sanções e ao mesmo tempo buscar conversas diplomáticas com o Irã, para que Teerã negocie seu programa nuclear. O Ocidente suspeita que o programa nuclear do Irã tenha como objetivo a construção de armas nucleares, uma acusação negada pelos iranianos.

Khamenei, que tem poder final sobre todos os assuntos de Estado iranianos, diz que o país rejeitou sempre as propostas norte-americanas para negociar porque "negociações sob ameaças não são negociações". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
sançõesEUAONUIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.