Gabinete do Líder Supremo do Irã / AP
Gabinete do Líder Supremo do Irã / AP

Aiatolá Khamenei afirma que Emirados Árabes 'traíram mundo muçulmano' por acordo com Israel

Líder supremo do Irã subiu o tom com país do Golfo Pérsico por normalização das relações com Estado judeu e disse que 'traição não vai durar para sempre'

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2020 | 07h59

TEERÃ - O governo dos Emirados Árabes Unidos "traiu o mundo muçulmano" ao normalizar as relações com Israel, afirmou nesta terça-feira, 1º, o líder supremo do Irã, Ali Khamenei. Por meio de sua conta no Twitter, o aiatolá ainda declarou que "a traição não vai durar para sempre".

"Os Emirados Árabes Unidos traíram o mundo muçulmano, as nações árabes, os países da região e a Palestina. Evidentemente, essa traição não vai durar para sempre", escreveu Khamenei.

A publicação das mensagens acontece um dia depois do primeiro voo comercial direto entre Emirados Árabes Unidos e Israel, que provocou outro fato inédito: a autorização da Arábia Saudita para o avião da companhia israelense sobrevoar seu território, embora Riad não tenha relações com o Estado hebreu.

O aiatolá também afirmou que a nova regulamentação abriu as portas da região para os sionistas e que os Emirados ignoraram e normalizaram a questão da Palestina "que é uma questão sobre a usurpação de um país". "Esse estigma vai permanecer neles", escreveu.

Emirados Árabes Unidos e Israel anunciaram em 13 de agosto um acordo para normalizar as relações. O país é a primeira nação do Golfo a estabelecer relações com o Estado judeu, o terceiro do mundo árabe, depois do Egito em 1979 e da Jordânia em 1994.

Para a República Islâmica do Irã, Israel é o "grande satã", assim como os Estados Unidos, e o apoio o demonstrado à causa palestina é uma constante da política externa iraniana desde a revolução de 1979.

"Espero que os Emirados Árabes Unidos acordem logo e compensem o que fizeram", concluiu Khamenei.

Em 14 de agosto, o ministério iraniano das Relações Exteriores chamou o acordo entre Israel e Emirados Árabes Unidos de "estupidez estratégica de Abu Dhabi e de Tel Aviv que reforçará, sem nenhuma dúvida, o eixo da resistência."

O Irã mantém relações tensas há vários anos com os Emirados, um de seus vizinhos na margem sul do Golfo que acusa de alinhamento com a Arábia Saudita, grande rival regional da República Islâmica./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.