The New York Times
The New York Times

Aiatolá Khamenei diz que EUA são 'símbolo da tirania'

Comentário publicado no Twitter do líder supremo iraniano faz referência às revelações do relatório sobre atividades da CIA

O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2014 | 15h11

TEERÃ - O governo americano é "o símbolo da tirania contra a humanidade", publicou nesta quarta-feira, 10, no Twitter o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, após a divulgação de um relatório sobre a prática de tortura pela CIA.

Trata-se da primeira reação de um líder iraniano ao relatório, segundo o qual o serviço secreto americano submeteu dezenas de detidos suspeitos de ligação com a Al-Qaeda à interrogatórios violentos, mas ineficazes, entre 2001 e 2009.

O Irã é regularmente denunciado na ONU por seu histórico em termos de Direitos Humanos, incluindo o elevado número de execuções, a falta de liberdade de imprensa e da liberdade de religião.

Teerã, invariavelmente, responde que esses relatórios são injustos e politicamente parciais, além de acusar os países ocidentais de quer impor a sua concepção de direitos humanos.

"Eles dizem ser uma nação cheia de orgulho. Os governos americanos têm menosprezado e enganado seu povo que não tem conhecimento de muitas realidades", afirma uma das mensagens postadas em inglês na conta atribuída ao líder (khamenei_ir) contendo a hastag #TortureReport.

Alguns tuítes citam trechos de discursos do aiatolá Khamenei, especificando sua data. "Hoje, o governo dos Estados Unidos é o símbolo da tirania contra a humanidade, até mesmo o povo americano enfrenta a crueldade. 28/07/07", foi postado com as hastags #HumanRightsDay e #Ferguson, a cidade americana onde um policial branco matou um adolescente negro em agosto.

Estas mensagens foram amplamente comentadas na internet. Alguns internautas lembraram vários casos de prisioneiros que morreram em prisões no Irã nos últimos anos, ou o enforcamento em outubro de uma jovem mulher condenada por esfaquear um homem que a teria abusado. / AFP

Tudo o que sabemos sobre:
IrãAli Khameneisupremo líder

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.