Aids já deixou 11 milhões de crianças órfãs na África

A aids já deixou órfãs mais de 11 milhões de crianças africanas de menos de 15 anos, afirma um estudo divulgado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). No entanto, segundo o documento, "o pior ainda está por vir"."É uma crise desenfreada, está crescendo e é de longo prazo", disse Carol Ballamy, diretora-executiva da Unicef, ao dar a conhecer em Johannesburgo o resultado do estudo "As gerações órfãs da África". Os países mais afetados são Botswana, Lesoto, Suazilândia e Zimbábue, onde cerca de uma em cada cinco crianças será órfã em 2010, 80% delas por causa da aids.Segundo o estudo, essas crianças, a metade delas entre 10 e 14 anos, ficam sem direção, proteção nem apoio. Enfrentam também riscos de desnutrição, abuso físico e sexual e exposição ao HIV. A maioria é criada por parentes próximos, que, devido à pobreza, se sentem sobrecarregados e sem capacidade de fornecer o mínimo necessário para a sobrevivência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.