Aids: Vaticano investe contra preço de medicamentos

O Vaticano pediu, hoje, que as empresas farmacêuticas reduzam os preços dos remédios contra a aids. Segundo monsenhor Paul Josef Cordes, que lidera uma organização de caridade do Vaticano, ?muitas crianças estão morrendo porque não têm remédios?.Coincidindo com suas palavras, o sacerdote Angelo D´Agostino também criticou os ?preços inatingíveis que cobram as grandes empresas farmacêuticas?.A Federação Internacional dos Fabricantes Farmacêuticos respondeu às reclamações dizendo que se registrou uma ?drástica redução? dos preços dos medicamentos anti-retrovirais. E assegurou que foram tomadas medidas para tornar esses medicamentos mais acessíveis, tanto por parte das indústrias individualmente como em conjunto com cinco agências da Organização das Nações Unidas e seis companhias multinacionais.D?Agostino recusou-se a discutir a controvérsia sobre a política do Vaticano em relação ao uso de preservativos, como forma de combate à aids.?Culturalmente, as camisinhas não são aceitas pela maior parte das tribos africanas?, assegurou.O Vaticano insiste em que a castidade é a melhor maneira de combater a doença, embora muitos padres venham admitindo que o uso de camisinha para evitar mortes é o menor dos males.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.