AIEA confirma incêndio no reator 4 da usina de Fukushima

Autoridades japonesas comunicaram ainda que o nível de água no reator 5 da usina descera 40cm, ficando 2,01 metros acima do combustível

Efe,

16 de março de 2011 | 03h56

VIENA - A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou ter recebido das autoridades japonesas a informação sobre um incêndio "observado visualmente" no reator 4 da usina nuclear Fukushima Daiichi entre 17h45 e 18h15 de terça-feira, 15, (pelo horário de Brasília).

 

Em um breve comunicado, o órgão da ONU encarregado de velar pelo uso pacífico da tecnologia atômica lembra que na segunda-feira, 14, já recebera informação sobre fogo no mesmo reator, assim como sobre sua extinção duas horas depois.

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

As autoridades japonesas comunicaram ainda que o nível de água no reator 5 de Fukushima descera 40 centímetros entre 4h e 9h de terça-feira (horário de Brasília), ficando 2,01 metros acima do combustível.

"Funcionários da usina pensaram em usar um gerador de diesel no reator 6 para fornecer água ao reator 5", acrescenta o comunicado.

 

Previamente, o organismo assinalara que "a evacuação da população da área a um raio de 20 quilômetros ao redor de Fukushima Daiichi foi concluída com sucesso", sempre de acordo com as informações fornecidas pelas autoridades japonesas.

 

A nota é datada da 0h55 desta quarta-feira, 16, (em Brasília) e não faz referência aos últimos eventos, como a evacuação das pessoas que estavam trabalhando na citada usina, danificada após o terremoto e o posterior tsunami da última sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.