AIEA confirma ter recebido do Irã carta aceitando acordo de troca de urânio

Documento agora deve ser avaliado por representantes dos EUA, França e Rússia

BBC

24 de maio de 2010 | 07h57

VIENA - A agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou nesta segunda-feira, 24, ter recebido do governo do Irã uma carta aceitando o acordo sobre o programa nuclear do país mediado por Brasil e Turquia.

 

Saiba mais:

especialEspecial: Os últimos eventos da crise nuclear

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções que já foram aplicadas ao Irã

lista Entenda a polêmica envolvendo o Irã

lista Leia a íntegra do acordo de Irã, Brasil e Turquia

 

Uma nota oficial da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena, na Áustria, afirmou que o seu diretor-geral, Yukiya Amano, se reuniu como representantes dos três países nesta segunda-feira. O documento agora deve ser avaliado por EUA, França e Rússia.

As autoridades de Irã, Brasil e Turquia entregaram a Amano a carta assinada pelo chefe da organização de energia atômica iraniana, Ali Akbar Salehi. Na segunda-feira passada, os três países anunciaram uma proposta de acordo que prevê o envio de 1,2 mil quilos de urânio iraniano enriquecido a 3,5% à Turquia. Em troca, o Irã receberia o urânio já enriquecido a 20%, para uso hospitalar.

Na terça-feira passada, um dia após o anúncio do acordo, os EUA circularam um esboço de resolução entre os países do Conselho de Segurança da ONU, pedindo uma quarta rodada de sanções econômicas e diplomáticas devido ao programa nuclear do Irã.

Analistas acreditam que, dos 15 países integrantes do órgão da ONU, apenas três, Brasil, Turquia e Líbano, todos com assentos temporários, não aprovariam a resolução com as sanções.

Ameaça

O Irã ameaçou rever seus laços com a AIEA se o Conselho de Segurança aprovar as novas sanções contra o país. O presidente da Assembleia Consultiva Islâmica, Ali Larijani, acusou os EUA de ignorar o acordo fechado em Teerã, com a mediação do Brasil e da Turquia.

Em um discurso transmitido pela televisão estatal iraniana, Larijani afirmou que as ações americanas poderão fazer com que o Irã abandone o acordo. "Isto iria estragar todos os esforços feitos pela Turquia e pelo Brasil e isto (o acordo) poderia ser deixado de lado, completamente", disse o parlamentar. "E, nestas circunstâncias, o Parlamento iraniano vai tomar outras medidas no sentido do nível de cooperação entre o Irã e a AIEA", acrescentou.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.