AIEA deve monitorar radioatividade em Fukushima

O líder da Agência Internacional de Energia Atômica da ONU (AIEA), Yukiya Amano, pediu nesta quinta-feira que o Japão se esforce mais para enfrentar as preocupações sobre vazamentos de água contaminada na usina nuclear de Fukushima. Amano também falou que a agência deve monitorar em conjunto os níveis de radiação na região.

AE, Agência Estado

10 de outubro de 2013 | 10h01

Yukiya Amano falou ao principal órgão de regulação nuclear do Japão em Tóquio que é crucial que o país disponibilize dados para a comunidade internacional sobre a segurança das águas japonesas e da vida marinha. Recentemente, a Coreia do Sul impôs uma proibição de peixes da região.

Autoridades japoneses reconheceram em julho que a usina de Fukushima Dai-ichi estava com problemas de vazamento, com água radioativa fluindo para o oceano Pacífico desde o tsunami de 2011. Repetidos vazamentos de água contaminada a partir de tanques de armazenamento na usina aumentaram preocupações internacionais sobre o complexo.

"Monitorização dos oceanos é extremamente importante e a AIEA gostaria muito de fornecer o máximo de apoio possível", disse Amano ao presidente da Autoridade de Regulação Nuclear do Japão, Shinichi Tanaka. Métodos de monitoramento e outros detalhes serão discutidos quando uma equipe de especialistas da AIEA visitar o Japão no próximo mês, disseram autoridades.

Tanaka disse que espera que o monitoramento conjunto abordará preocupações entre os vizinhos do Japão e incluirá especialistas desses países. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
japãonuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.