AIEA: não há piora significativa em situação de usina no Japão

A agência de fiscalização nuclear da ONU informou nesta quinta-feira que a situação na usina nuclear japonesa danificada pelo terremoto continuava muito grave, mas nenhuma deterioração significativa havia ocorrido desde quarta-feira.

REUTERS

17 de março de 2011 | 13h22

Graham Andrew, uma importante autoridade da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), disse que o reator 4 da usina era "uma grave preocupação para a segurança".

Ele disse em coletiva de imprensa: "A atual situação na usina de Daiichi, em Fukushima, continua sendo muito grave... (mas) não houve piora significativa desde quarta-feira."

(Reportagem de Fredrik Dahl e Sylvia Westall)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOAIEANUCLEAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.