AIEA rejeita alegação do Irã sobre nova usina nuclear

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) rejeitou a alegação do Irã de que o país deveria informar o organismo da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre suas novas instalações nucleares apenas seis meses antes do início de suas operações. O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou que seu país cumpriu as regras porque a nova instalação de enriquecimento de urânio não entrará em operação nos próximos 18 meses. A AIEA, porém, não aceitou a afirmação iraniana. Segundo a agência, o país é obrigado a fazer tal notificação quando começa a projetar as instalações.

AE-AP, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 17h12

Os iranianos disseram, em março de 2007, que "suspenderam" a modificação do acordo de salvaguardas da AIEA que exigem a notificação prévia. A AIEA reagiu e afirmou que um governo não pode abandonar o acordo de maneira uniletaral.

Os líderes dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França disseram hoje que a revelação de uma nova instalação nuclear coloca mais pressão sobre o Irã para que o país revele a natureza de todos os seus esforços nucleares.

Com as conversações sobre o programa nuclear marcadas para 1º de outubro, Ahmadinejad disse que o presidente Barack Obama vai lamentar sua declaração.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearAIEAusina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.