AIEA retomará com Irã conversa sobre programa atômico do país

Agência da ONU diz que se reunirá com governo iraniano no próximo mês; Teerã confirma ataque contra drone dos EUA

VIENA, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2012 | 02h08

O governo do Irã retomará as negociações sobre seu programa nuclear com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), ligada à ONU. O anúncio foi feito ontem pela própria AIEA. A medida é considerada um esforço na direção de um acordo de paz, diante da possibilidade de uma nova guerra no Oriente Médio. No mesmo dia, porém, Teerã confirmou que aviões de sua Força Aérea derrubaram um drone americano na semana passada.

O anúncio da AIEA ocorreu três dias depois da reeleição de Barack Obama como presidente dos EUA, o que, segundo analistas, favorecerá as iniciativas diplomáticas para pôr fim ao impasse de uma década - em que o Ocidente acusa os iranianos de tentarem desenvolver armas nucleares. O argumento é usado pelo governo de Israel, que ameaça bombardear o Irã para destruir suas instalações atômicas.

Nova crise. Na quinta-feira, em um sinal de como a tensão com Teerã pode aumentar rapidamente, o Pentágono afirmou que duas aeronaves iranianas abateram, no Golfo Pérsico, um avião não tripulado de vigilância dos EUA que, em uma operação de rotina, não estava armado. Ontem, o ministro de Defesa iraniano, o general Ahmad Vahidi, confirmou o ataque. De acordo com ele, o drone americano teria invadido o espaço aéreo iraniano.

O incidente, segundo Washington, ocorreu no dia 1.º. Foi a primeira vez que aeronaves iranianas abriram fogo contra drones americanos. Em dezembro de 2011, Teerã anunciou ter capturado um avião não tripulado dos EUA. Em abril, o governo iraniano anunciou que produzirá uma réplica do equipamento.

Negociação. De acordo com um relatório recente da AIEA, há "informações confiáveis indicando que o Irã conduziu atividades relevantes para o desenvolvimento de um artefato explosivo nuclear". A agência da ONU quer ter acesso às instalações atômicas iranianas para esclarecer a natureza do programa nuclear de Teerã, que afirma ser voltado para pesquisas civis e pacíficas.

A AIEA disse ontem que espera poder mandar seus representantes ao Irã no dia 13 de dezembro, para estabelecer um acordo que permita a retomada da fiscalização da agência no país. / NYT e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.