AFP PHOTO / SAUL LOEB
AFP PHOTO / SAUL LOEB

Ainda há espaço para diplomacia com Pyongyang, diz secretário de Defesa dos EUA

Em reunião com colega da Coreia do Sul, Jim Mattis contraria o presidente Donald Trump que, momentos antes, deu a entender que a busca por solução negociada com regime de Kim Jong-un está condenada ao fracasso

O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2017 | 13h03

WASHINGTON - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, contrariou nesta quarta-feira, 30, o presidente Donald Trump e afirmou que ainda há lugar para a diplomacia com a Coreia do Norte. Pouco antes, Trump escreveu em sua conta no Twitter que negociar com Pyongyang "não é a solução" para a crise.

"Nunca descartamos as soluções diplomáticas", disse Mattis ao iniciar uma reunião com seu colega da Coreia do Sul, Song Young-moo. 

Continuamos trabalhando juntos e o ministro (sul-coreano) e eu compartilhamos a responsabilidade de garantir a proteção de nossas nações, nossos cidadãos e nossos interesses, que é o motivo de estarmos aqui para conversar", completou o secretário de Defesa. "Nunca somos complacentes."

Na manhã desta quarta, Trump afirmou que discutir com a Coreia do Norte "não é a solução", dando a entender, em um tuíte ambíguo, que a busca por uma solução diplomática com o regime de Pyongyang está condenada ao fracasso.

"Os Estados Unidos estão conversando com a Coreia do Norte, e pagando dinheiro de extorsão, há 25 anos. Conversar não é a solução", escreveu o presidente, um dia depois do lançamento por Pyongyang de um míssil que sobrevoou o Japão.

O governo Trump, assim como o de seu antecessor Barack Obama, tem aplicado uma política de tentativa de pressão sobre o regime de Kim Jong-un, na esperança de fazer Pyongyang desistir de seus programas balístico e nuclear.

Já o  secretário de Estado americano, Rex Tillerson, disse que está aberto a negociar com Pyongyang desde que as conversas abordem a desnuclearização da Coreia do Norte. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.