Ajuda humanitária chega a cidade ocupada no Iraque

O primeiro comboio considerável de ajuda humanitária chegou hoje ao Iraque, em meio a uma tempestade de areia, enquanto forças norte-americanas e britânicas tentavam abrir caminho para a chegada de novos carregamentos - utilizando golfinhos para remover minas aquáticas e tentando subjugar combatentes iraquianos em Basra.Escoltados por soldados norte-americanos, sete grandes tratores puxando trailers chegaram a Um Qasr trazendo água e comida doadas pelos kuwaitianos. Alguns dos suprimentos foram levados por navios auxiliares da Marinha Real da Grã-Bretanha."Nós planejávamos trazer 30 caminhões, mas conseguimos carregar somente sete, devido às persistentes tempestades de areia", disse E. J. Russell, do Centro de Operações Humanitárias, uma agência operada em conjunto por Estados Unidos e Kuwait. A tempestade limita a visibilidade a menos de 100 metros.Quase metade da carga era composta por galões de água. O restante era formado por caixas de bolacha, doces, atum e outros tipos de alimentos.Quando os caminhões passaram por prédios destruídos perto da fronteira entre Iraque e Kuwait, um garoto iraquiano de aparentemente 10 anos apontou para a boca e gritou: "comida, comida!"Na cidade de Safwan, um comboio menor, enviado pela Sociedade do Crescente Vermelho do Kuwait, foi recebido por centenas de iraquianos necessitados, contou um fotógrafo da Associated Press que estava no local.Quando as portas do caminhão se abriram, os iraquianos - muitos deles jovens, descalços e sujos - começaram a gritar frases de apoio a Saddam e a brigar para pegar as caixas brancas de ajuda humanitária, relatou o fotógrafo.Os soldados britânicos tentaram manter a ordem, mas a multidão esfomeada iniciou um caótico "empurra-empurra". Os agentes humanitários então desistiram de entregar a ajuda de forma ordenada, e os próprios iraquianos encarregaram-se da divisão. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.