Al-Qaeda ainda é a mais grave ameaça aos EUA, diz CIA

O diretor do serviço secreto-norte-americano (CIA), George Tenet, disse nesta quarta-feira ao Congresso que a organização Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita Osama bin Laden, ainda representa a ameaça mais séria e imediata contra o país e teria o interesse de atacar qualquer "alvo chamativo", inclusive durante os Jogos Olímpicos de Inverno deste ano, que começarão nesta sexta-feira em Salt Lake City.A guerra liderada pelos Estados Unidos contra o terrorismo resultou na prisão de aproximadamente mil seguidores da Al-Qaeda em 60 diferentes países. "Eu devo repetir que a Al-Qaeda ainda não foi destruída", disse Tenet a uma comissão do Senado norte-americano.De acordo com ele, os supostos terroristas estariam considerando a possibilidade de ataques contra instalações públicas ou privadas famosas, aeroportos, pontes, portos e represas.O diretor do serviço secreto disse que "eventos atrativos, como as Olimpíadas de Inverno ou o Super Bowl (realizado no último fim de semana), também estão entre os objetivos dos terroristas dispostos a novos ataques dentro dos Estados Unidos, o que chamaria a atenção da imprensa de todo o mundo".Funcionários responsáveis pela segurança dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002 disseram desconhecer qualquer ameaça específica referente ao evento. Tenet, em sua primeira declaração pública ao Congresso desde os ataques de 11 de setembro, foi questionado por membros da Comissão de Inteligência do Senado sobre a incapacidade do serviço secreto de se antecipar aos atentados.Irritado com a sugestão de que alguma falha tenha ocorrido, Tenet defendeu os agentes dizendo que eles têm um histórico de disciplina, estratégia, foco e ação. "Estamos orgulhosos deste histórico. Travamos uma guerra contra a Al-Qaeda há mais de cinco anos."Segundo ele, a CIA tomou conhecimento de que ataques estariam sendo planejados contra os Estados Unidos na época e sabia que Bin Laden estaria por trás de planos de ataques dentro do país, disse.Porém, ele admitiu que a CIA não possuía informações específicas sobre os atentados de 11 de setembro contra o World Trade Center e o Pentágono. Ainda de acordo com Tenet, a CIA desbaratou ataques contra três ou quatro instalações norte-americanas no exterior nos últimos meses, assim como impediu "numerosos atentados terroristas" desde 11 de setembro. "E nós continuaremos fazendo isto."Mas ele fez um alerta: "Nada que nós façamos garantirá uma certeza total de que nada acontecerá. Isto é impossível!"Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.