Al-Qaeda assume autoria de atentados cometidos na Argélia

Em comunicado em site, grupo terrorista pede para militantes ser preparem para futuras ofensivas

Efe,

06 de agosto de 2008 | 06h57

O grupo Al-Qaeda para o Magrebe Islâmico (AQMI) assumiu nesta quarta-feira, 6, em comunicado divulgado na internet, a autoria de dois atentados suicidas na Argélia, incluindo o que causou mais de 20 feridos no domingo passado. O grupo afirmou ser o responsável pelos ataques por meio de um site islamita, no qual também advertiu seus militantes para que estejam preparados para futuras ofensivas. O comunicado assinala que o atentado do domingo passado, em Tizi-Ouzou, capital da região argelina da Cabília, foi perpetrado por um de seus membros, com o propósito de "salvar as nações islâmicas dos cruzados e infiéis". Ele explicou que o terrorista suicida, que atendia pelo nome de Majlouf Abu Mariyam, detonou o veículo que conduzia, carregado com 600 quilos de explosivos. O grupo divulgou ainda uma fotografia de Abu Maryiam, na qual aparece rodeado por três fuzis automáticos, e com duas pistolas nas mãos. Os alvos do ataque, acrescenta o documento, eram dois centros dos "infiéis", um pertencente aos serviços de inteligência e à Polícia, e o outro ao Exército argelino. O atentado suicida feriu 25 pessoas, quatro delas policiais, além de ter causado grandes danos materiais, segundo o Ministério do Interior. No comunicado, a organização faz referência a outro atentado suicida na mesma zona cometido em 23 de julho e no qual, segundo a versão das autoridades argelinas, 13 soldados ficaram feridos quando um motorista acionou a carga que levava em seu corpo junto a um veículo militar. A organização, no entanto, assegura na nota que o ataque, feito por Abdel Malik Abu al-Bara, que levava 70 quilos de explosivos, causou a morte de 13 pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgéliaAl-Qaedaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.