Al-Qaeda confirma união de Zarqawi com Bin Laden

A rede extremista Al-Qaeda confirmou em uma publicação online que o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, acusado de promover diversas ações terroristas no Iraque, aliou-se ao grupo liderado pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden. Em um editorial, a revista Al-Battar Camp, uma publicação militar mantida pela Al-Qaeda na rede mundial de computadores, elogia a decisão de Al-Zarqawi, líder do grupo Monoteísmo e Guerra Santa, de aderir à rede. "O anúncio do líder do grupo Monoteísmo e Guerra Santa jurando lealdade ao xeque da guerra santa e dos guerreiros sagrados em nosso tempo, Abu Abdallah Osama bin Laden, é um bom presságio para a vitória", considera o editorial. De acordo com o texto, o Monoteísmo e Guerra Santa declarou sua fidelidade a Bin Laden e à Al-Qaeda há apenas duas semanas, contrariando acusações americanas de que os dois grupos já seriam aliados há meses. O Monoteísmo e Guerra Santa anunciou recentemente uma mudança de nome, passando a chamar-se Al-Qaeda no Iraque. Entretanto, ainda há pessoas céticas com relação ao reconhecimento da aliança por parte da rede Al-Qaeda. O editorial também pede aos combatentes sunitas no Iraque que se unam a Bin Laden para derrotar o que chamam de "cruzados", recomendando que sigam o exemplo de Al-Zarqawi.

Agencia Estado,

27 Outubro 2004 | 18h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.