Al Qaeda dá ultimato à Áustria sobre reféns

A Al Qaeda Norte-Africana disse naquinta-feira que deu à Áustria três dias para conseguir alibertação de três militantes detidos na Argélia e na Tunísia,em troca de dois reféns austríacos. Em nota divulgada um site islâmico, o grupo disse terinformado a Viena que o ultimato entra em vigor à meia-noite dequinta-feira, mas sem citar um fuso horário de referência. "A Áustria seria responsável pelas vidas dos dois refénscaso o prazo passe e nossas exigências não sejam atendidas",disse o texto, acrescentando que as exigências e uma lista depresos foram enviados ao governo austríaco por meio deemissários não-identificados. O grupo divulgou fotos de um homem e uma mulher cercadospor militantes armados num deserto. Eles teriam sidosequestrados em 22 de fevereiro. A mulher usava um lenço azul, mas teve seu rosto borradodigitalmente, aparentemente para cumprir uma austerainterpretação do Islã que exige que as mulheres resguardem orosto. A imprensa austríaca identificou os reféns como sendoAndrea Kloiber, 43 anos, e Aolfgang Ebner, 51, desaparecidosdurante viagem turística à Tunísia. "Os sequestradores fizeram exigências políticas aqui cujocumprimento não recaem na área de responsabilidade da Áustria",disse a ministra austríaca de Relações Exteriores, UrsulaPlassnik. "Mesmo assim, tomamos as medidas apropriadas, num esforçopelas vidas, pelo bem-estar dos reféns. É tudo que eu possodizer neste momento", disse Plassnik de Bruxelas a uma TVaustríaca. (Reportagem de Inal Ersan e Mark Heinrich em Viena)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.