Al-Qaeda declara guerra ao presidente paquistanês

Grupo terrorista muçulmano ameaça Pervez Musharraf e promete vídeo de Osama bin Laden

Efe,

20 de setembro de 2007 | 07h34

A rede terrorista Al-Qaeda declarou guerra ao presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, no site onde costuma divulgar as suas mensagens. A ameaça foi divulgada no mesmo dia em que a Comissão Eleitoral confirmou a data para a realização das eleições presidenciais do país, previstas para 6 de outubro.   Veja também:  Al-Qaeda pede fimda influência européia na África muçulmana O presidente Pervez Musharraf vai tentar a reeleição, disputando os votos dos membros do Parlamento e das assembléias provinciais. a breve mensagem no site da al-Sahaba, uma espécie de produtora que nos últimos meses tem divulgado os vídeos da organização, promete novos detalhes da declaração de guerra "em breve", num vídeo com o próprio Osama bin Laden, o líder da rede terrorista e que supostamente está escondido nas montanhas entre o Paquistão e o Afeganistão. "A organização da Al-Qaeda declara a guerra ao demônio Pervez Musharraf e seu Exército de desertores". Bin Laden reapareceu no dia 11 de setembro, no sexto aniversário dos atentados em Nova York e Washington, com uma nova gravação. Musharraf deixou claro sua intenção de disputar um novo mandato presidencial de cinco anos. Mas seu plano depende de uma decisão do Tribunal Supremo (TS). O TS estuda desde segunda-feira seis recursos apresentados por representantes da oposição. Eles tentam impedir que Musharraf acumule os cargos de chefe do Estado e comandante do Exército. Os advogados do presidente prometeram aos juízes que Musharraf deixará seu cargo militar se for reeleito. O general chegou ao poder com um golpe de Estado, em 1999, e ratificou seu cargo de presidente em 2002, num plebiscito muito questionado. O seu mandato termina oficialmente no dia 15 de novembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.