Al-Qaeda do Iraque assume ataque a vice-premier iraquiano

Uma facção afiliada à Al-Qaeda no Iraque assumiu a responsabilidade pelo ataque suicida à bomba nesta sexta-feira, 23, que feriu o vice-primeiro-ministro iraquiano e matou ao menos nove pessoas em Bagdá.O vice-premier sunita, Salam al-Zubaie, ficou gravemente ferido no ataque suicida no interior de uma mesquita privada no jardim de sua casa.O Estado Islâmico do Iraque - que une o a Al-Qaeda no Iraque e diversos grupos sunitas extremistas - disse em um pronunciamento publicado em um website islâmico comumente usado por militantes que estava por trás do ataque.A mensagem, cuja autenticidade não pode ser imediatamente verificada, dizia que o grupo "trazia a nação islâmica (...) boas notícias de que nossos soldados podiam, com a vontade de Deus, atingir" al-Zubaie. O ataque em Bagdá ocorreu quando um homem-bomba detonou um colete repleto de explosivos dentro da mesquita durante as tradicionais orações de sexta-feira. O salão ficou devastado, com poças de sangue no chão e marcas de estilhaço até no teto.Entre os 14 feridos estavam cinco guarda-costas de Zubaie. Um assessor, um irmão e um sobrinho de Zubaie, e o Imam da mesquita também morreram no ataque.A mesquita foi construída no jardim da mansão de Zubaie numa área residencial atrás do Ministério do Exterior, nas proximidades da Zona Verde, a região murada e altamente guardada que abriga as Embaixadas dos EUA e da Grã-Bretanha e a sede do governo iraquiano.O pronunciamento insurgente desta sexta-feira citava o líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Ayyub al-Masri, também conhecido como Abu Hamza al-Muhajer, rezando a Deus para que "não ajudasse esse traidor que vendeu sua religião e povo a preço baixo".Em outros pronunciamentos do mesmo grupo, eles assumiam estar por trás de outros "ataques", como o ataque ao helicóptero do primeiro-ministro australiano John Howard, que foi obrigado a fazer um pouso de emergência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.