Al-Qaeda encorajou militantes a atacar oleodutos

A Al-Qaeda encorajou seus seguidores a atacar oleodutos na Arábia Saudita e no Iraque, mas poupou os poços de petróleo, segundo anúncio do grupo. O documento - escrito por Abdul Aziz bin Rasheed al-Anzy, ideólogo da Al-Qaeda - tem pelo menos um ano, mas foi postado em um fórum de militantes islâmicos na internet somente no início desta semana. O ministro do interior saudita disse que al-Anzy foi o editor dos periódicos online do grupo que incitavam a Jihad (guerra santa) e a violência antes de ser preso, em maio do ano passado. O atentado de 24 de fevereiro em Abqaiq foi o primeiro ataque a um oleoduto na Arábia, o que trouxe o medo de que militantes sauditas comecem uma campanha contra a infra-estrutura petrolífera similar à campanha feita por insurgentes no Iraque. No ataque, os extremistas tentaram bater dois veículos cheios de bombas contra o portão que dá acesso ao oleoduto. Embora um tenha conseguido detonar a carga, o ataque foi frustrado depois que os guardas do complexo abriram fogo contra os veículos. Dois terroristas e dois guardas morreram. Dias depois, forças de segurança sauditas lançaram um ataque contra terroristas em Riad, matando cinco militantes (entre eles o líder da Al-Qaeda na Arábia Saudita). A célula saudita do grupo se responsabilizou pelo ataque a Abqaiq e avisou que poderá continuar com ataques contra oleodutos.

Agencia Estado,

02 Março 2006 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.