Al Qaeda está em forte competição com Estado Islâmico, diz dirigente da UE

A Al Qaeda pode tentar organizar um ataque terrorista na Europa para provar que não perdeu a "liderança da jihad global" para o Estado Islâmico, afirmou o coordenador de contraterrorismo da União Europeia, Gilles de Kerchove.

AE, Estadão Conteúdo

21 Março 2015 | 07h49

"Há uma competição feroz entre Al Qaeda e Daesh", disse o dirigente no Fórum de Bruxelas, uma conferência de política externa. O Estado Islâmico também é conhecido como Daesh.

Tendo em vista que 4 mil a 5 mil cidadãos europeus viajaram à Síria e ao Iraque para treinamento militar com grupos extremistas, Kerchove disse que o risco deles voltarem para a Europa com o objetivo de realizar ataques tem "aumentado significativamente."

Jovens europeus que não têm "contato com organizações terroristas" e se radicalizaram na prisão, online ou por propaganda extremista também são uma ameaça à segurança da Europa, afirmou o coordenador, ao mencionar os terroristas que realizaram ataques em Paris e Copenhague neste ano.

O ministro da Turquia para Assuntos Europeus, Volkan Bozkir, reconheceu que o seu país é frequentemente acusado de deixar guerrilheiros europeus entrarem na Síria para se juntar a grupos militantes. "Temos 39 milhões de turistas a cada ano, não podemos verificar todos", disse Bozkir.

Ele acrescentou, no entanto, que a Turquia já prendeu 1,2 mil pessoas e as impediu de se juntar ao Estado Islâmico, com base na inteligência compartilhada com seus parceiros internacionais. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Europa Terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.