Al-Qaeda na Síria matam líderes rebeldes rivais

Combatentes da Al-Qaeda mataram o líder de uma brigada islâmica rival num ataque duplo com carros-bomba nas proximidades da cidade síria de Alepo. A ação deve intensificar os confrontos entre diferentes facções rebeldes.

Agência Estado

02 de fevereiro de 2014 | 11h17

O alvo do atentado foi a base das Brigadas Tawheed e resultou na morte do comandante Adnan Bakkour, informou o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres.

Outro importante comandante de outra brigada rebelde também foi morto por combatentes da Al-Qaeda, afirmou o analista Charles Lister, do Brookings Doha Center. Segundo ele, os extremistas mataram Abu Hussein al-Dik, líder do poderoso Suqour al-Sham, o que mostra que o grupo tem como alvo sedes de grupos rivais, "postos de verificação estratégicos e comandantes influentes".

A guerra na Síria, que começou como um levante pacífico em março de 2011, tem lentamente se espalhado para o vizinho Líbano.

Na noite de sábado, um obscuro grupo extremista libanês assumiu a responsabilidade por um ataque suicida com carro-bomba numa cidade xiita, que deixou pelo menos três mortos. A ação tem relação com a guerra na Síria.

A Frente Nusra no Líbano informou, em sua conta no Twitter, que o ataque na cidade de Hermel, nordeste do país, no sábado, teve como objetivo punir o grupo xiita libanês Hezbollah, que luta ao lado das forças do presidente sírio Bashar Assad.

Trata-se do terceiro atentado assumido pela Frente Nusra no país. Uma série de ataques contra xiitas no Líbano tem ocorrido em razão da participação do Hezbollah na guerra síria, o que intensifica as tensões sectárias em território libanês. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaAl-Qaedarebeldesrivais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.