Al-Qaeda no Iraque nega que seu líder esteja ferido

Em pronunciamento publicado em website de militantes islâmicos nesta sexta-feira, o Estado Islâmico do Iraque - filiado à Al-Qaeda - negou que seu líder, Abu Ayyub al-Masri, tenha sido ferido em um embate no Iraque.O anúncio, em um site freqüentemente usado pelo grupo terrorista, continha o logo do Estado Islâmico do Iraque, uma rede militante que inclui a Al-Qaeda.O pronunciamento contradiz alegações feitas no começo da sexta-feira (noite de quinta-feira no Brasil) pelo porta-voz do Ministério do Interior, o Brigadeiro Abdul-Karim Khalaf, que alegava que al-Masri havia sido baleado.O porta-voz disse que al-Masri, também conhecido como Abu Hamza al-Muhajir, foi ferido e que seu comparsa foi assassinado em um confronto com forças iraquianas perto de Balad, ao norte de Bagdá, na quinta-feira.Khalaf recusou dizer como as forças iraquianas sabiam que al-Masri foi ferido, mas um porta-voz militar dos EUA, o tenente-coronel Christopher Garver, mais tarde disse que os militares americanos não tinham indícios de que o líder da organização terrorista estava ferido e não poderia confirmar os relatos.O anúncio argumentava que as informações foram forjadas pelo governo do Iraque, já que "mesmo seus mestres, os americanos" tenham negado tais relatos."O governo de al-Maliki (primeiro-ministro) não tem outra escolha a não ser circular mentiras pela mídia para (...) esconder a verdade de sua falência e falta de poder ante o mundo, após ter sido enfraquecido pelo primeiro dia de implementação do novo plano de segurança". Parte do plano consiste na busca feita em residências xiitas e sunitas, por tropas iraquinas e americanas, vasculhando por munição e armas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.