Al-Qaeda participa de ataques no Iraque, diz Rumsfeld

O secretário americano de Defesa, Donald Rumsfeld, chegou neste domingo ao Kuwait em uma visita-surpresa, e disse que os guerrilheiros da rede Al-Qaeda estão entre os insurgentes que promovem ataques no Iraque para provocar uma guerra civil no país. Mas ele prometeu que a democracia será instalada no país, apesar da atual desordem."Eles estão claramente envolvidos e ativos", declarou Rumsfeld a jornalistas durante uma breve escala na Irlanda. Funcionários do Pentágono disseram na sexta-feira que não havia provas de que as centenas de estrangeiros presos no Iraque eram membros da Al-Qaeda."Temos informações de que terroristas estão tentando fomentar conflitos entre grupos religiosos e étnicos, tentando deter o caminho para a democracia no Iraque", disse Rumsfeld.EleiçõesIndagado sobre o que tipo de guerrilheiros que estavam lançando ataques no Iraque, o chefe do Pentágono disse que era difícil precisar. "Algumas dessas pessoas têm 13 passaportes diferentes e mais de 20 nomes falsos", explicou.Rumsfeld, que não quis afirmar aos repórteres que viajavam com ele se fará uma nova visita ao Iraque, a quarta desde que os EUA invadiram o país, em março de 2003. Ele também rejeitou prever quando as eleições poderão ser realizadas seguindo uma programada entrega de autoridade aos iraquianos em 30 de junho.O administrador civil americano no Iraque, Paul Bremer, disse no sábado que poderá levar entre um ano e 15 meses para que as eleições possam ser realizadas no Iraque. "Paul Bremer está trabalhando sobre isso (o plano de eleição) com o presidente (George W. Bush) e todos nós", disse Rumsfeld. "Temos um país que não tem experiência com democracia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.