Al-Qaeda planeja atacar países europeus, dizem oficiais de inteligência

Plano, ainda ativo, prevê atentados semelhantes ao ocorrido em Mumbai em novembro de 2008

29 de setembro de 2010 | 11h16

LONDRES - Autoridades de segurança da Europa disseram nesta quarta-feira, 29, que um plano para a realização de ataques terroristas com homens armados na França, na Alemanha e no Reino Unido está ativo e que os locais onde evidências das ameaças foram encontradas, no Paquistão, estão sendo investigados.

 

Veja também:

linkOtan diz ter matado líder da Al-Qaeda no Afeganistão

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

O plano, que prevê a realização de ataques como o que ocorreu em Mumbai, na Índia, em novembro de 2008, ainda está no início e não é considerado sério o bastante para elevar o alerta contra o terrorismo nesses países. Ainda assim, as polícias do Reino Unido e da França, onde a Torre Eiffel foi evacuada por uma ameaça de ataque na terça, estão em alerta.

 

"Esse plano está em uma fase embrionária. Esse caso tem nos preocupado mais que os outros nos últimos dias, mas não é tão preocupante a ponto de elevarmos os alertas", disse uma fonte do governo britânico em condição de anonimato.

 

O anúncio da descoberta do plano ocorre às vésperas do aniversário de publicação de charges com o profeta Maomé em um jornal dinamarquês, o que foi considerado ofensivo por muçulmanos. Além disso, a Espanha prendeu nesta quarta um cidadão americano de origem argelina acusado de ter elos com a organização terrorista Al-Qaeda.

 

A Europa tem sido alvo de diversos planos de ataques terroristas na última década. O pior ataque ocorrem nos trens de Madri, em 2004, quando dez bombas explodiram e mataram 191 pessoas e feriram cerca de 1.800. Um ano depois, suicidas mataram 52 pessoas em ônibus e no metrô de Londres.

 

Em 2006, as inteligências dos EUA e do Reino Unido desmantelaram um dos maiores planos de ataque já registrados e que mudou o transporte aéreo para sempre - terroristas planejavam explodir quase dez aviões.

 

Os funcionários das agências de inteligência não revelaram mais detalhes dos planos atuais, mas disseram que eles tiveram origem em no Paquistão com um "um grupo ameaçando realizar ataques como o de Mumbai" em cidades britânicas, francesas e alemãs. Não ficou claro como ou quando os ataques seriam realizados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.