Arquivo/Associated Press
Arquivo/Associated Press

Al-Qaeda planejava ataques ao setor petrolífero dos EUA

Autoridades americanas, porém, afirmam que não há ameaças iminentes ao país

Agência Estado

20 de maio de 2011 | 14h06

WASHINGTON - A rede terrorista Al-Qaeda considerava a possibilidade de realizar ataques em território americano contra a infraestrutura de petróleo e gás, segundo documentos obtidos na residência onde foi morto Osama bin Laden, informaram autoridades dos EUA nesta sexta-feira, 20. As fontes disseram, porém, que não há uma ameaça específica ou iminente ao país, notando que não está claro se a Al-Qaeda havia tentado executar esses planos depois de 2010.

 

Veja também:

especialAs franquias da Al-Qaeda

 

Em um alerta de inteligência confidencial, o Escritório Federal de Investigação (FBI, na sigla em inglês) e o Departamento de Segurança Interna forneceram informações sobre "o interesse da Al-Qaeda em atacar a infraestrutura de petróleo e gás natural", disse um porta-voz do departamento, Matt Chandler, em comunicado. "Nós não estamos cientes de indícios de qualquer plano de ataque terrorista específico ou iminente contra o setor de petróleo e gás natural nos EUA", acrescentou.

 

O porta-voz diz, porém, que em 2010 havia um interesse de membros da Al-Qaeda em atacar navios-tanque e a infraestrutura comercial de petróleo em alto-mar, porém "não está claro se qualquer outro planejamento foi realizado desde meados do ano passado". O alerta foi enviado para os setores federal, estadual e local de segurança, e também a companhias de petróleo e gás. O nível de alerta terrorista nacional, porém, não foi elevado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.