Al-Qaeda queria atingir o Congresso dos EUA

O Congresso dos EUA seria o quarto alvo da rede terrorista Al-Qaeda no dia 11 de setembro no ano passado. A rede terrorista também havia considerado a possibilidade de atacar instalações nucleares americanas quando planejou seus atentados contra Nova York e Washington. As declarações foram feitas, domingo, pelo correspondente da rede de televisão "Al-Jazeera", Yosri Fouda. Segundo Fouda, a Al-Qaeda entrou em contato com ele para combinar entrevistas com Khalid Sheikh Mohammed e Ramzi Binalshibh num local secreto no Paquistão, em junho. A Al-Jazeera exibirá as entrevista na quinta-feira, como parte de um documentário para lembrar o primeiro aniversário dos ataques. Fouda falou sobre a entrevista ao "Sunday Times?, de Londres, afirmando que ouviu de seus entrevistados que o Congresso dos EUA seria o quarto alvo dos atentados de 11 de setembro, além das torres gêmas do World Trade Center e do Pentágono. As autoridades americanas consideram Mohammed um dos mais altos líderes da Al-Qaeda ainda em liberdade e acreditam que ele ainda esteja planejando atentados contra interesses americanos. Representantes dos EUA afirmam que Binalshibh foi membro de uma célula baseada em Hamburgo liderada por Mohammed Atta, que supostamente foi o líder dos seqüestradores no dia 11 de setembro. "Eu sou o chefe do comitê militar do Al-Qaeda e Ramzi é o coordenador da operação "Terça-feira Sagrada", teria dito Mohammed para Fouda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.