Al-Qaeda recebeu ajuda de sauditas para matar americano

O homem mais cotado para assumir aliderança da rede extremista Al-Qaeda na Arábia Saudita teriatreinado no Exército saudita e foi agente penitenciário noreinado antes de se aliar a mulitantes islâmicos noAfeganistão. Apesar de abalada pela morte de seu líder anterior, Abdulazizal-Moqrin, a Al-Qaeda ainda consegue atacar alvos do governosaudita graças a homens como Saleh Mohammed al-Aoofi. Al-Moqrin foi o mentor intelectual do seqüestro do engenheiroamericano Paul Johnson Junior, que foi decepado por seuscaptores. Al-Aoofi seria a escolha lógica para substituirAl-Moqrin, de acordo com jornais sauditas e especialistas. Entretanto, Saud Musaibeeh, um agente de relações públicas doMinistério de Interior da Arábia Saudita, recusou-se a comentara possibilidade de a Al-Qaeda ter um novo líder no reinado. "Nós não damos atenção a assuntos como esses porque, para nós,eles são todos assassinos e criminosos", declarou. "Não lidamos com eles de acordo com suas supostas posiçõeshierárquicas. Lidamos com eles como inimigos da segurança e nosconcentramos em erradicá-los do país." Al-Aoofi é o quinto nome em uma lista de homens maisprocurados pelo governo saudita. Dois dos quatro homens acimadele na lista, inclusive Al-Moqrin, o número 1, estão mortos. Acredita-se que o terceiro na lista, Rakan Mohsin Mohammedal-Saikhan, tenha sido ferido e detido depois de um tiroteio comforças sauditas de segurança no mesmo incidente que resultou namorte de Al-Moqrin na última sexta-feira, horas depois de suacélula ter anunciado que Johnson fora assassinado. O quarto na lista, Kareem Altohami al-Mojati, pode não serconsiderado o homem ideal para liderar uma célula saudita pelofato de ser marroquino. De acordo com reportagens publicadas por jornais sauditasligados ao governo, Al-Aoofi beira os 40 anos e recebeutreinamento militar em Riad antes de entrar para a unidade deagentes penitenciários da Arábia Saudita. Ele trabalhou com agente da penitenciária de Medina, perto desua cidade natal, antes de ser demitido em 1992, aparentementepor conduta ilícita. Sob condição de anonimato, um especialista em Arábia Sauditacomentou que o treinamento militar pelo qual Al-Aoofi passou esua devoção a Osama bin Laden, líder máximo da Al-Qaeda, fazemdele um candidato particularmente forte para assumir o lugar deAl-Moqrin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.