Al-Qaeda renasce no Paquistão, via internet

Os restos da organização Al-Qaeda dispersados pelas bombas norte-americanas estão tentando reconstruir a rede de terror liderada pelo saudita Osama bin Laden, provavelmente na Caxemira ou Baluquistão, ambas no Paquistão. Segundo fontes governamentais citadas hoje pelo New York Times, após a diáspora dos terroristas e da interrupção dos bombardeios sobre o Afeganistão, novas células e novos "santuários" do terror estariam se formando nas duas províncias paquistanesas.Vão nesta direção as indicações dos serviços de inteligência norte-americanos, que descobriram uma consistente troca de informações via Internet entre os militantes da Al-Qaeda. A rede terrorista aposta no correio eletrônico para ressurgir das cinzas e reorganizar as fileiras para um novo desafio ao Ocidente.CibercafésAssim - afirma o jornal - os filiados à organização de Osama bin Laden navegam na rede para enviar e ler as mansagens em computadores de cibercafés espalhados pelo mundo, o que dificulta a detecção. Altos funcionários da luta antiterrorista norte-americana destacaram que o novo tráfego de comunicações causou preocupação com a possibilidade de a Al-Qaeda poder aproveitar a Internet para desfechar novos ataques terroristas contra os EUA.Os novos "santuários" dos terroristas islâmicos estariam em zonas remotas das regiões de Baluquistão e Caxemira - regiões sobre as quais o governo de Islamabad tem dificuldades em manter controle. Enquanto as tropas norte-americanas lutam para frear algumas centenas de membros da Al-Qaeda na zona montanhosa perto de Gardez, "a rede de Osama bin Laden está em busca de novos ´santuários´ em todo o mundo", disse o vice-diretor da CIA, John McLaughlin.ConexõesMas, segundo os mesmos funcionários citados pelo diário, ainda não está claro se as comunicações via Internet representam uma estrutura de comando central que tenta controlar os diversos elementos da organização ou se, mais simplesmente, são apenas membros da Al-Qaeda que falam entre si. Em todo caso, a inteligência norte-americana diz estar segura de que os novos sites têm conexões reais com a rede de Bin Laden e não são "falsificações".Membros da Al-Qaeda foram recentemente identificados em países como Indonésia, Filipinas, Malásia, Iêmen e Espanha. Todos eles eram pessoas que se comunicaram através da Internet e por considerar este sistema menos arriscado para manter-se em contato.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.