Al-Qaeda tenta reviver ameaça do 11/9 com divulgação de vídeos

A rede terrorista Al-Qaeda aproveitou o quinto aniversário dos atentados do 11 de Setembro para pedir aos muçulmanos de todo o planeta que ataquem interesses ocidentais em várias partes do mundo.A Al-Qaeda divulgou uma série de vídeos que tentam mostrar que o grupo ainda possui uma poderosa força de ataque cinco anos após o início da "guerra contra o terror" liderada pelos Estados Unidos.Um dos vídeo mostra imagens dos aviões atingindo o World Trade Center e afirma que os 19 terroristas que seqüestraram os aviões em 2001 são "homens que mudaram a história".Outro filme, com duração de 91 minutos, mostra Bin Laden sorrindo e conversando com os terroristas que fizeram os ataques de 11 de Setembro em um acampamento montado em uma montanha afegã. Já no terceiro e mais recente dos vídeos, o número dois da Al-Qaeda, o egípcio Ayman al-Zawahiri, ameaça os americanos com novos ataques. "Nós repetidamente os avisamos e oferecemos uma trégua a vocês. Agora temos todas as justificativas legais e racionais para continuar a combatê-los até que seu poder seja destruído ou vocês se rendam", disse.Zawahiri disse no filme - gravado em árabe, mas com legendas em inglês - que "novas ações" ocorrerão e ameaçou explicitamente Israel e alvos dos Estados do Golfo Pérsico que poderiam afetar a economia do Ocidente."A melhor forma de ajudar nossos irmãos muçulmanos no mundo é atacar os judeus e os cruzados, assim como os que cooperam com eles", disse o líder, pedindo atentados contra os interesses econômicos do Ocidente, "para que parem de roubar o petróleo dos muçulmanos".Ameaças a IsraelZawahiri afirmou que Osama bin Laden, o líder máximo da Al-Qaeda, o autorizou a transmitir uma advertência aos países ocidentais: "Não se preocupem por suas tropas no Afeganistão e no Iraque, porque elas já estão perdidas. Mas sim por sua presença no Golfo (Pérsico), primeiro, e em segundo lugar, por Israel."Este último vídeo foi divulgado inicialmente por um site islâmico que normalmente difunde mensagens da Al-Qaeda. Depois, trechos da mensagem foram difundidas pela rede de TV do Catar Al-Jazira e pela CNN. Sobre os ataques do 11 de Setembro e a chamada guerra contra o terror empreendida pelos EUA, Zawahiri diz aos ocidentais que "seus líderes estão ocultando a verdadeira magnitude do desastre. Nos próximos dias, com a permissão e conselho de Alá, novos eventos ficarão conhecidos". A respeito dos conflitos recentes com Israel, de um lado, e Hamas e Hezbollah, de outro, Zawahiri criticou o Ocidente por enviar armas a Israel e convocar a nação muçulmana a ajudar "com todos os meios disponíveis os seus irmãos muçulmanos palestinos e do Líbano".O número dois do grupo também pediu aos curdos do Iraque que em vez de colaborarem com as forças internacionais encabeçadas pelos EUA, lutem contra estas "e escrevam assim uma página honorável na história contemporânea do Islã".Durante a mensagem, Zawahiri é muito crítico com as monarquias árabes, devido ao que qualifica de colaboração com o Ocidente e a corrupção.Os governos do Líbano e de Israel alertaram sobre o possível crescimento da presença da Al-Qaeda em seus territórios. "Reparamos nos últimos meses o aumento de atividades da Al-Qaeda em nossa área", no Líbano, Jordânia e na península do Sinai, no Egito, afirmou o porta-voz do ministério do Exterior israelense, Mark Regev."Reparamos também na tentativa da Al-Qaeda de se infiltrar em Gaza e até na Cisjordânia, então consideramos a ameaça muito séria e estamos tomando as medidas necessárias", disse o porta-voz, sem dar mais detalhes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.