Al-Qeda assume atentado no Iêmen

A Al-Qaeda na Península Arábica divulgou um comunicado em fóruns na internet assumindo a responsabilidade pelo ataque ocorrido no Iêmen nesta segunda-feira, que deixou pelo menos 96 mortos, e disse que o alvo era "o ministro da Defesa e outros líderes da guerra dos Estados Unidos contra o povo de Abyan" província iemenita que fica no sul do país.

AE, Agência Estado

21 Maio 2012 | 15h35

O presidente do Iêmen, Abdrabuh Mansur Hadi, prometeu que seu governo vai realizar uma "guerra contra o terror" independentemente dos "sacrifícios" necessários.

"A guerra contra o terror vai continuar até que ele esteja completamente destruído, independentemente dos sacrifícios", disse o presidente em comunicado divulgado pela agência estatal de notificas Saba, horas após o ataque de um suicida em meio a um batalhão que ensaiava uma marcha comemorativa. Além dos 96 mortos, cerca de 300 pessoas ficaram feridas. As informações são da Dow Jones;

Mais conteúdo sobre:
Iêmen ataque suicida Al-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.