Al-Sadr declara cessar-fogo e anuncia entrada na política

O clérigo radical xiita Muqtada al-Sadr está considerando a hipótese de liderar um movimento político. Hoje, ele pediu aos seus seguidores o fim do levante contra os Estados Unidos e as forças iraquianas, informaram seus representantes. Se a promessa se concretizar - o clérigo já quebrou outras promessas no passado - o grande vitorioso será o governo do primeiro-ministro interino do Iraque, Ayad Alaui, que não só tiraria uma pedra de seu sapato, como também poderia fazer com que muitos dos seguidores de al-Sadr participassem do processo político no país.O pedido de cessar-fogo foi feito na cidade sagrada de Najaf pelo conselheiro político de Al-Sadr, o xeque Ali Smeisim. Ele pediu aos militantes que "parassem de atirar até que seja revelado o programa político adotado pelo movimento sadrista". O xeque também pediu às forças americanas e iraquianas para se retirarem dos centros das cidades do país, mas não fez desse apelo uma condição para o fim dos combates. Ele espera que o cessar-fogo seja posto em prática imediatamente.O anúncio de Al-Sadr acontece num momento em que o Iraque decidiu interromper a exportação de petróleo devido aos ataques nos oleodutos, que têm custado ao país dezenas de milhares de dólares por dia. Seqüestro - Enquanto isso, um vídeo exibido hoje pela rede de televisão árabe Al-Jazira transmitiu o apelo de um dos dois jornalistas franceses seqüestrados feito ao presidente Jacques Chirac para que anule a "lei do véu islâmico", que deverá entrar em vigor na quarta-feira, com o início do ano letivo. O porta-voz do governo francês, contudo, afirmou em entrevista ao Canal Plus que a norma - que proíbe o uso de artigos religiosos ostensivos nas escolas públicas - não será revogada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.