Al-Sadr ordena que oficiais do Exército Mehdi deixem Iraque

O líder religioso xiita Moqtada al-Sadr ordenou que oficiais de sua milícia, o Exército Mehdi, abandonem o país para evitar que sejam presos novamente por causa do novo plano de segurança governamental, informou nesta sexta-feira, 16, o presidente iraquiano, Jalal Talabani."Creio que altos cargos do Exército Mehdi receberam ordens de abandonar o país e facilitar a aplicação do plano de segurança", declarou nesta sexta-feira, 16, o presidente através de um comunicado.Talabani se reuniu no final da noite de ontem com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri Al-Maliki, para discutir o desenvolvimento do plano, que entrou em vigor na última quarta.O presidente disse ainda no comunicado que não sabe do paradeiro de Sadr, apesar de um porta-voz governamental ter dito ontem que o líder religioso tinha partido para uma breve visita ao Irã.No entanto, colaboradores de Sadr afirmam que o líder da maioria xiita continua no Iraque, cumprindo suas tarefas na cidade de Najaf, no sul do país."Quem quiser saber o paradeiro de Sadr deveria perguntar a seus seguidores, não ao governo iraquiano ou ao porta-voz das tropas americanas", disse Saleh Al-Okali, porta-voz do clérigo, à emissora Al Iraqiya."Sadr está disposto a colaborar com o plano de segurança e a estabilizar a situação no Iraque. Ele deu ao governo sinal verde para prender quem violar a lei", acrescentou Okali.Tanto os dirigentes sunitas quanto os oficiais militares dos EUA culpm a milícia de Sadr pela onda de violência sectária que matou milhares de iraquianos e que obrigou centenas de milhares de pessoas a abandonarem seus lares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.