Al-Sadr volta a dizer que resistirá até a vitória ou a morte

Depois de intensas negociações para alcançar uma trégua, a situação na cidade sagrada xiita de Najaf voltou a mergulhar na incerteza, com o clérigo radical xiita Muqtada al-Sadr prometendo, no fim do dia, ficar nos santuários até a vitória. Forças dos EUA mantêm o cerco à área. Protestos de milhares de xiitas em várias cidades iraquianas aumentaram ainda mais a tensão no Iraque e aparentemente encorajaram Al-Sadr."Eu aconselho o governo ditatorial, agente (dos EUA) a renunciar. Todo o povo iraquiano exige a renúncia do governo", afirmou Al-Sadr a centenas de seguidores entrincheirados na mesquita do Imã Ali, segundo relatou à imprensa um de seus assessores. "Não vou deixar esta cidade sagrada. Vamos ficar aqui defendendo os santuários até a vitória ou o martírio."Horas antes, assessores de Al-Sadr haviam dado informação oposta. Disseram que ele iria retirar suas forças de Najaf se as tropas dos EUA também deixassem a cidade e as autoridades religiosas concordassem em administrar os santuários. Testemunhas disseram que no início da noite os soldados americanos haviam recuado algumas posições, retirando-se, por exemplo, dos arredores da casa abandonada de Al-Sadr.Durante as conversações com o governo iraquiano, o ministro interino do Interior prometeu que o líder do levante xiita não seria preso se saísse da cidade. "Sayyed Muqtada não será tocado se ele deixar o santuário pacificamente", afirmou o ministro Falah al-Naqib.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.