Al-Zarqawi assume atentado contra plataforma iraquiana

O grupo do militante jordaniano Abu Musabal-Zarqawi, ligado à rede extremista Al-Qaeda, assumiu nestasegunda-feira a responsabilidade pelos ataques suicidasocorridos no sábado contra plataformas de petróleo do GolfoPérsico que mataram três militares norte-americanos e fecharam amaior plataforma do Iraque por mais de 24 horas. "Nossos irmãos em sua embarcação atingiram as plataformas depetróleo", diz em árabe o comunicado de Al-Zarqawi, publicado emum site muçulmano na internet. A página costuma publicardeclarações da Al-Qaeda e de outros grupos extremistas. "Inspirados no que seus irmãos, os leões da Al-Qaeda, fizeramcom o destróier USS Cole no Golfo de Áden, eles reproduziramesse ataque determinados a atingir os pontos sensíveis daeconomia dos infiéis." Ao todo, os ataques impediram o embarque de mais de 1 milhãode barris de petróleo. Não houve como verificar a autenticidade da declaração, queseria a primeira de Al-Zarqawi assumindo a autoria de um ataqueno Iraque. O locutor identifica-se como Abu Musab al-Zarqawi,"emir (líder) da Jamaat al-Tawhid wa´l-Jihad", ou Grupo daUnidade e da Guerra Santa. Autoridades dos Estados Unidos garantem que ele está por trásde uma série de atentados suicidas a bomba ocorridos no paísárabe. Os ataques da noite de sábado resultaram na morte de doismarinheiros americanos e de um oficial da Guarda Costeira dosEUA. Os três tentaram interceptar um dos três barcos que seaproximaram das plataformas. A plataforma de Khawr al-Amawya passou algumas horasdesativada, voltando a operar na manhã de domingo com perda deprodução de 350.000 barris de petróleo. A plataforma de Al-Basra, a maior do país, voltou a abastecerpetroleiros apenas na noite de ontem. Ela tem capacidade parabombear 700.000 barris de petróleo por dia. Atualmente, o Iraqueexporta diariamente 1,6 milhão de barris.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.