Ala militar do Hamas ameaça vingar morte de palestinos

Um tiroteio seguido de uma explosão em um suposto laboratório clandestino de armas causou a morte de três membros do grupo islâmico Hamas e de um soldado israelense nesta sexta-feira. A ação militar israelense contra o local e a morte dos militantes gerou ameaças de vingança por parte do Hamas, atualmente engajado numa trégua de três meses sem ataques contra alvos israelense.O Izzedine al-Qassam, braço militar do Hamas, jurou vingança. "O crime de Israel não passará sem que um terrível preço seja pago. Conclamamos todas as nossas células de resistência a responder a esse crime e ensinar uma lição ao inimigo", diz um comunicado distribuído a jornalistas em Gaza.Apesar das ameaças do Hamas, o rompimento do cessar-fogo iniciado em 29 de junho parece improvável. Líderes políticos do Hamas sugeriram em conversas privadas que a trégua não será suspensa pelo grupo e evitaram ameaças em público contra o Estado judeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.