Alabama mantém segregação racial na Constituição

Uma recontagem de votos mostra que os eleitores do Estado americano do Alabama decidiram, por uma estreita margem, manter na Constituição estadual artigos que apóiam a segregação racial e a cobrança de uma taxa de votação, criada para afastar os negros do processo eleitoral. Nenhum dos artigos mantidos é cumprido atualmente. A secretário de Estado Nancy Worley disse que a emenda suprimindo os textos foi derrotada por 1.850 votos, num universo de 1,3 milhão, ou 0,13% do total. Defensores da emenda diziam que os artigos, mesmo fora de uso, são dolorosos e embaraçosos, e dão uma má imagem ao Estado. A emenda também removeria da Constituição termos que dizem que não existe direito à educação paga com dinheiro público no Alabama. Opositores da medida disseram que sua aprovação levaria a um aumento brutal dos impostos cobrados das escolas particulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.